Não vim destruir a Lei - Aliança da Ciência e da Religião - cap. I

Vamos encontrar nos Evangelhos de Mateus, 17; 10-13; Marcos, 18: 10-12, a passagem onde Jesus afirma: digo-vos, porém, que Elias já veio e eles não o conheceram, antes fizeram dele quanto quiseram. Então compreenderam os discípulos que de João Batista é que ele lhe falara.A reencarnação fazia parte dos dogmas judeus, sob o nome de ressurreição.

Somente os Saduceus, que pensavam que tudo acabava com a morte, não acreditavam nela. As idéias dos judeus sobre essa questão, como sobre muitas outras, não estavam claramente definidas, porque só tinham noções vagas e incompletas sobre a alma e sua ligação com o corpo. Eles acreditavam que um homem podia reviver, sem terem uma idéia precisa da maneira porque isso de daria, e designavam pela palavra ressurreição o que o Espiritismo chamava, mais justamente, de reencarnação.

Com efeito, a ressurreição supõe o retorno à vida do próprio cadáver, o que a ciência demonstra ser materialmente impossível, sobretudo quando os elementos desse corpo já estão há muito dispersos e consumidos. A reencarnação é a volta da alma ou espírito à vida corpórea, mas num outro corpo, novamente constituído e que nada tem a ver com o artigo.A idéia da reencarnação é muito antiga, mas foi o Espiritismo quem criou, como muitos afirmam. No antigo Egito, 3.000 anos a.C. as tradições desse povo já afirmavam "que antes de nascer a criança já tinham vivido e que a morte não era o fim". No Papyrus Anana de 1320 a.C. a reencarnação era retratada com uma clareza surpreendente, chegando a dizer que "o homem volta à vida várias vezes, mas não consegue recordar-se das existências prévias, exceto de vez enquanto, em um sonho sou pensamento relacionado a alguns acontecimentos duma vida anterior..."Na Cabala, doutrina judaica esotérica sobre Deus e o Universo, surgida 200 anos a.C., estuda a teologia e filosofia dos hebreus.

Na Cabala a criação é um ato de amor e virá o tempo que Deus receberá de novo a todos e a vida será uma festa eterna, aceitam a reencarnação. Annie Besant, teosofista inglesa, escreveu o livro A Sabedoria Antiga e lá deparamos com a frase muito importante: " Excluindo a reencarnação do número de suas crenças, o mundo moderno arrebatou a Deus a sua Justiça e ao homem a sua esperança".Psicoterapeutas atuais como Dra. Edith Fiori comprova a reencarnação através de seus pacientes e demonstra em seu livro Possessão Espiritual.

O mesmo faz a Dra. Helen Wambach no seu livro Vida antes da Vida, que aconselhamos as pessoas que se interessam por esse lado mais científico e menos filosófico. Os espíritas, além de aceitarem todas essas comprovações e afirmações mais variadas de épocas remotas de forma filosóficas e compreendendo que Deus é Pai de amor, justiça e bondade, vê na reencarnação o único modo de evolução, aperfeiçoamento para o espírito desde que é criado como princípio espiritual.


Essa compreensão afasta a idéia de prêmio ou castigo na lei de causa e efeito e sim no aspecto de burilamento para sua perfeição. E encerramos este pequeno trabalho com esta frase de Herminio Miranda: Em cada encarnação de purificação, pela correção dos desvios de comportamento.